sábado, 1 de junho de 2013

Incoerente



Vejo à minha frente
Um caminho diferente
Perco-me em palavras divergentes
Me torno, incoerente.

Faço da vida uma arte
Ando por trilhas em disparate
Procurando por você
Onde você se escondeu em mim?

Volto ao começo
De inicio aos tropeços.
Sinto que me encontrei
Mas na verdade, me perdi.

Eu só queria algo pra dizer
Aquilo que é importante pra mim.
E as palavras custam a aparecer.
Colocando no poema, um fim.

Um comentário:

  1. E que a vida continue a ser essa incoerência perfeita!!!adorei Rafa...abç

    ResponderExcluir